Em 2023, todas as embalagens da empresa deverão conter, pelo menos, 50% de rPET

Coca-Cola investe na criação de uma economia circular do PET

28/07/2020

A Coca-Cola European Partners (CCEP), o maior engarrafador independente da Coca-Cola a nível mundial, deu um importante passo no caminho para a total circularidade do PET: a empresa decidiu financiar a CuRe Technology – uma strat-up de reciclagem que procura dar uma nova vida a resíduos de poliéster difíceis de reciclar.

foto

O financiamento oferecido pela CCEP, através do seu fundo de investimento em inovação, CCEP Ventures, permitirá à CuRe acelerar a sua tecnologia de ‘rejuvenescimento do poliéster’. Uma vez a tecnologia comercializada, a CCEP receberá a maior parte da produção de uma nova fábrica licenciada pela CuRe.

A CuRe deverá, assim, ajudar a CCEP, em parceria com a The Coca-Cola Company na Europa Ocidental, a eliminar o PET baseado em petróleo virgem das suas garrafas PET durante a próxima década, o que significa que mais de 200.000 toneladas de PET virgem por ano serão substituídas por rPET.

A CuRe Technology é uma start-up criada por um consórcio de empresas de referência na área da reciclagem, liderada pelo Grupo Morssinkhof e pelo Grupo Cumapol/DuFor, que conta com os parceiros estratégicos DSM-Niaga e NHL Stenden University of Applied Science. A tecnologia desenvolvida consiste em aplicar inicialmente um processo de despolimerização parcial do princípio ao fim para transformar o PET de uso alimentar, opaco e difícil de reciclar (ODR), em PET reciclado de alta qualidade (rPET), que pode ser utilizado novamente para fabricar embalagens para alimentos e bebidas. Tudo num processo contínuo, desenvolvido na mesma fábrica.

Rumo a uma economia circular

O financiamento da CuRe pela CCEP Ventures faz parte dos investimentos estratégicos da The Coca-Cola Company para explorar e apoiar a escalada de tecnologias de reciclagem 'melhoradas' de despolimerização total, a fim de tornar a economia circular do PET numa realidade.

As tecnologias de reciclagem de despolimerização complementam os processos existentes de reciclagem mecânica de polímeros. Mas, além disso, têm a vantagem de poder reciclar o PET de pior qualidade que, hoje em dia, não pode ser reciclado através de meios mecânicos, acabando muitas vezes por ir para aterro ou estações de inceneração. Estas tecnologias de despolimerização podem desempenhar um papel importante no aumento da oferta de rPET no mercado, ao mesmo tempo que aceleram a transição para uma economia circular para as garrafas PET, reduzindo a dependência do PET virgem.

foto
A fábrica-piloto da CuRe está localizada em Emmen, Países Baixos, e entrou em funcionamento no início de julho. Foto: CuRe Technology.

Na Europa Ocidental, a Coca-Cola está a trabalhar no sentido de eliminar a necessidade de PET à base de petróleo virgem. No futuro, a empresa conta que as suas fontes de material sejam 70% derivadas da reciclagem mecânica, 25% de reciclagem por despolimerização e 5% de PET de fontes renováveis de base vegetal. Todas as embalagens deverão ser, simultaneamente, 100% recicláveis.

Sobre a tecnologia CuRe

A CuRe Technology utiliza um processo de despolimerização parcial, que encurta as cadeias de polímeros apenas o suficiente para permitir a remoção de impurezas e para transformar o PET de qualidade alimentar em rPET de alta qualidade. Este processo pode utilizar menos energia que a despolimerização total, o que significa menos emissões de C02. De acordo com a empresa, a modularidade do processo pode, a longo prazo, permitir reciclar todos os fluxos de resíduos de poliéster, incluindo os provenientes de produtos como tapetes e têxteis.

Joe Franses, Vice-Presidente da área de Sustentabilidade da Coca-Cola European Partners, afirma: “O investimento na CuRe espelha o nosso empenho em apoiar inovações que tenham o potencial de impulsionar o crescimento do nosso negócio e os nossos objetivos de desenvolvimento de embalagens sustentáveis. Oferece-nos também o potencial de aceder a um volume vital de rPET, o que ajudará a concretizar o nosso objetivo de termos garrafas 100% rPET”.

Com a iniciativa ‘This is Forward’, a CCEP e a Coca-Cola assumem o compromisso e, até 2025, recolherem uma lata ou garrafa para cada uma que comercializem, assegurando, ao mesmo tempo, que todas as embalagens colocadas no mercado sejam 100% recicláveis. Em 2023, as embalagens da empresa deverão conter, pelo menos, 50% de PET reciclado. O objetivo é que, no futuro, essa percentagem suba para 100%.

Josse Kunst, diretor comercial da CuRe Technology, afirmou: "O poliéster é um dos plásticos mais reversíveis do mundo e não deve ir para o lixo. Na fase piloto do processo CuRe, fomos apoiados com um subsídio da União Europeia e de três províncias dos Países Baixos. Agora a nossa ambição é criar uma solução energeticamente eficiente para a transformação de poliéster produto a produto. O apoio da CCEP Ventures vai permitir-nos começar a trabalhar com PET de uso alimentar, opaco e difícil de reciclar. Este é apenas o primeiro passo para conseguir o objetivo final: reciclar todo o poliéster, repetidamente”.

InterPlast Acompanhe no FacebookInterplast20 Years Jaba traduçao técnica especializada 4.0InterPlast

Subscrever a nossa Newsletter

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

interplast.pt

InterPLAST - informação para a indústria de plásticos portuguesa

Estatuto Editorial