Talleres Filsa: controladores de nivel para sólidos y líquidos
Informação profissional para a indústria de plásticos portuguesa

Projeto ‘Better Pastics’ quer criar um ecossistema de inovação para a circularidade dos plásticos

Nuno Aguiar, diretor técnico da Associação Portuguesa da Indústria de Plásticos (APIP)14/10/2021

A Associação Portuguesa da Indústria de Plásticos (APIP) lançou uma iniciativa que pretende criar em Portugal um ecossistema de inovação em que todos os intervenientes colaborem para alcançar a circularidade dos plásticos. Iniciado em julho de 2020 e com duração prevista de três anos, o projeto ‘Better Plastics – Plastics in a Circular Economy’ constitui o ‘Projeto Mobilizador do Setor dos Plásticos em Portugal’, enquanto alavanca para a sua transição rumo a uma economia cada vez mais circular, e conta com participantes de toda a cadeia de valor.

foto

‘Better Plastics’ é um projeto estratégico que visa reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação no setor dos plásticos. Conta com o apoio do programa Portugal 2020 e é cofinanciado pelo Programa Operacional Competitividade e Internacionalização (POCI) e Programa Operacional Lisboa (PO Lisboa), agregando praticamente toda a cadeia de valor dos plásticos a nível nacional, num total de 25 entidades (e.g. produtores de materiais plásticos e matérias-primas, transformadores, brand-owners, retalhistas e distribuidores, recicladores, centros tecnológicos e universidades).

foto
foto

Através deste verdadeiro ecossistema de inovação pretende-se assegurar a sustentabilidade da nova cadeia de valor do setor dos plásticos em Portugal, pela criação de uma estratégia de Inovação e Investigação & Desenvolvimento vocacionada para o desenvolvimento de novos materiais, produtos, processos, sistemas, tecnologias e serviços, que respondam aos desafios atuais e futuros e assegurem a circularidade dos plásticos no território nacional.

foto

Neste sentido, o ‘Programa Mobilizador Better Plastics’ vai focar-se nas principais necessidades de inovação e investigação necessárias para dar cumprimento à ‘Estratégia Europeia para os Plásticos’, através de uma abordagem multifacetada em termos de circularidade, fomentando uma indústria dos plásticos inteligente, inovadora e sustentável em que a conceção e a produção respeitem as necessidades de reutilização, reparação e reciclagem, contribuindo ainda para a descarbonização através de uma redução significativa das emissões de gases com efeito de estufa e da dependência dos combustíveis fósseis importados.

Neste âmbito, e por forma a dar resposta a estes desafios, foram definidos os seguintes Objetivos Estratégicos (OE):

  • OE 1 - Aumentar a circularidade e eficiência do recurso plástico, no âmbito da ‘Estratégia Europeia para os Plásticos’, rumo a uma economia cada vez mais circular;
  • OE 2 - Conceber e desenvolver materiais com separação aprimorada e propriedades de reciclagem;
  • OE 3 – Conceber e desenvolver produtos que incentivem e fomentem a reutilização;
  • OE 4 - Conceber e produzir plásticos e produtos de plástico alinhados com as necessidades de reutilização, reparação e reciclagem;
  • OE 5 - Utilizar resíduos de plástico como um recurso no final da vida útil dos produtos, para fecho do ciclo;
  • OE 6 - Desenvolver soluções de substituição que prolonguem a vida útil de artigos de plástico;
  • OE 7 - Inovar em tecnologias avançadas de reciclagem para aumentar o valor recuperados dos resíduos de plástico;
  • OE 8 - Incorporar matérias-primas alternativas na produção de plásticos – matérias-primas que contêm resíduos ou subprodutos de outros setores e processos;
  • OE 9 - Definir ações de avaliação de ciclo de vida, a fim de identificar as condições em que o uso de plásticos biodegradáveis ou compostáveis é benéfico e quais os critérios para essas aplicações.

A concretização destes objetivos, que requerem o envolvimento dos principais players da cadeia de valor do setor dos plásticos, assentam no desenvolvimento e implementação de soluções em quatro áreas-chave para uma maior circularidade:

1. Circularidade pelo Design de Material

As atividades a desenvolver no pilar ‘Circularidade pelo Design de Material’ contribuirão para responder aos desafios de investigação/inovação aplicadas à fase de desenvolvimento do material polimérico/aditivos funcionais/matéria-prima, visando melhorar a sua circularidade geral. Neste pilar, os principais objetivos-técnico-científicos a atingir são:

  • Obter materiais com propriedades aprimoradas de separação e reciclagem;
  • Melhorar a classificação e separação dos materiais (polímeros);
  • Desencadear a biodegradabilidade dos materiais; e
  • Melhorar o desempenho do envelhecimento dos materiais de base biológica.

2. Circularidade pelo Design de Produto

As atividades a desenvolver no pilar ‘Circularidade pelo Design de Produto’ contribuirão para responder aos desafios de investigação/inovação aplicadas à fase de projeto do artigo/produto/embalagem, visando melhorar a sua circularidade geral. Os principais objetivos-técnico-científicos a atingir neste pilar são:

  • Incentivar a reutilização e a reparação/desmontagem, prolongando a sua vida útil dos artigos/produtos de plástico;
  • Aumentar a reciclabilidade dos artigos/produtos de plástico; e
  • Diminuir a incorporação de materiais nos produtos/embalagens, por intermédio de Eco-Design.

No que diz respeito à utilização de plástico reciclado em artigos que entram em contacto com alimentos (p.e. garrafas), o objetivo passa por dar prioridade a elevados padrões de segurança, proporcionando simultaneamente um quadro claro e fiável.

3. Circularidade pela Reciclagem

Soluções inovadoras para sistemas avançados de preparação e pré-tratamento do fluxo, reciclagem mecânica e reciclagem química e termoquímica.

Assim, as atividades a desenvolver no pilar ‘Circularidade pela Reciclagem’ contribuirão para responder aos desafios de investigação/inovação aplicadas às fases de triagem e reciclagem dos produtos e materiais plásticos. Neste pilar, foram definidos três principais objetivos-técnico-científicos a atingir:

  • Desenvolvimento de sistemas de pré-tratamento para remoção de contaminantes orgânicos, tintas e odores para aumentar a qualidade dos plásticos triados para reciclagem mecânica;
  • Desenvolvimento de novas matérias-primas por reciclagem mecânica de materiais altamente contaminados; e
  • Desenvolvimento de soluções de reciclagem química e termoquímica para matérias-primas de elevada pureza e para contacto alimentar.

4. Circularidade pelas Matérias-Primas Alternativas

As atividades a desenvolver no pilar Circularidade pelas Matérias-Primas Alternativas contribuirão para responder aos desafios de investigação/inovação aplicadas a plásticos com base em matérias-primas alternativas sustentáveis, provenientes de resíduos/resíduos de origem de biomassa, de agroindústrias, mas também de origem plástica. Neste pilar, os principais objetivos-técnico-científicos a atingir são:

  • Desenvolvimento de materiais biodegradáveis baseados na valorização de resíduos alimentares e da biomassa;
  • Desenvolvimento de materiais sustentáveis a partir de subprodutos agroflorestais; e
  • Desenvolvimento de aditivos funcionais sustentáveis.

Estas áreas-chave corporizam quatro dos cinco PPS (produtos, processos e serviços) em que o projeto se encontra estruturado, conforme ilustrado na figura seguinte.

foto

É neste verdadeiro ecossistema de inovação que a cadeia de valor dos plásticos está a atuar dando, através deste projeto, o seu inequívoco contributo para a eficiência dos recursos e crescente circularidade dos plásticos na economia, onde o consumidor desempenhará, como sempre, um papel fundamental na gestão do recurso plástico, em particular através da adoção e melhoria das boas práticas de separação e reciclagem. Esta componente comportamental será decisiva para que todos os ganhos decorrentes deste projeto sejam efetivamente alcançados.

Esta é a visão da APIP para um futuro mais sustentável!

Virtual MoldingJaba: tradução 4.0

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

interplast.pt

InterPLAST - Informação profissional para a indústria de plásticos portuguesa

Estatuto Editorial