Informação profissional para a indústria de plásticos portuguesa
“As fábricas de injeção de plástico da Ucrânia retiraram moldes e distribuíram-nos a vários países europeus, incluindo Espanha e Portugal”

Entrevista a Martin Cayre, diretor geral de Arburg Portugal e Espanha

25/05/2022

A Arburg foi uma das empresas presentes no primeiro estudo de mercado de máquinas de injeção realizado em Portugal, levado a cabo pela InterPlast no dia 29 de março de 2022 com o objetivo de obter dados concretos sobre a venda destes equipamentos em território nacional, em 2021. À margem do evento, Martin Cayre, diretor geral da filial portuguesa, traçou-nos um quadro positivo do período em análise e apontou as dificuldades e oportunidades que a atual conjuntura oferece ao setor.

foto

Após o retrocesso imposto pela pandemia em 2020, 2021 acabou por ser um ano de recuperação para a maioria das empresas. Como avalia a atividade da sua empresa durante este período?

Houve uma atividade frenética, especialmente durante o primeiro trimestre de 2021, com um elevado nível de consultas de pedidos.

2021 foi também marcado pelo aumento dos preços das matérias-primas, bem como dos custos de energia e de transporte. De que forma estes fatores afetaram o setor e de que forma pensa que o farão em 2022?

Sim, esses fatores afetaram significativamente o setor, com aumentos de preços em todos os tipos de matérias-primas e componentes. Para o setor automóvel, significou uma redução significativa no volume de produção, principalmente devido a um fornecimento insuficiente de semicondutores. Espera-se que os problemas de abastecimento e de preços continuem pelo menos até ao final deste ano.

As dificuldades de abastecimento e a subida de preços deverão manter-se pelo menos até ao final deste ano. A estes fatores acresce a instabilidade gerada pelo atual conflito bélico na Ucrânia. A Arburg prevê alguma mudança estratégica para fazer face a estas dificuldades?

A guerra na Ucrânia gerou mais incerteza no mercado. Os preços da energia e das matérias-primas subiram ainda mais e alguns clientes adiaram as decisões de investimento.

Por outro lado, as fábricas de injeção de plástico na Ucrânia retiraram moldes e distribuíram-nos a vários países europeus, incluindo Espanha e Portugal.

Na Arburg, continuamos a recrutar pessoal quer na casa-mãe que nas diversas filiais em quase todas as áreas, a fim de consolidar o crescimento do ano passado.

Em termos gerais, acha que 2022 será melhor do que 2021?

Acredito que, após um 2021 com um nível de atividade muito elevado, esta irá diminuir ao longo do ano.

2022 é ano de K. A Arburg vai apresentar novas tecnologias na feira? Quais?

Apresentaremos várias inovações tecnológicas, sendo dois tópicos-chave a digitalização no âmbito da Indústria 4.0 e a sustentabilidade no âmbito do nosso programa arburgGREENworld, com enfoque na redução da pegada de carbono e na economia circular.

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal - Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

interplast.pt

InterPLAST - Informação profissional para a indústria de plásticos portuguesa

Estatuto Editorial