Informação profissional para a indústria de plásticos portuguesa
Novo estudo da Ceresana sobre o mercado global de dióxido de titânio

Pigmentos brancos polarizantes (análise de mercado)

27/06/2022

O dióxido de titânio - o mais brilhante e mais amplamente utilizado de todos os pigmentos conhecidos - é, no entanto, bastante controverso. Ainda assim, a procura e a quantidade de aplicações deste material continuam a crescer. A Ceresana analisou o mercado global de dióxido de titânio (TiO2) incluindo toda a cadeia de valor desde as matérias-primas até aos clientes finais.

foto

Na UE, o corante E171 é considerado potencialmente cancerígeno e deixará de poder ser utilizado em produtos alimentares a partir de agosto de 2022. No Reino Unido, contudo, o dióxido de titânio continua a ser um aditivo alimentar aprovado. Em muitos países, a utilização de dióxido de titânio em pastas de dentes, protetores solares, cosméticos e medicamentos está sob escrutínio. Ao mesmo tempo, estão a abrir-se novas áreas de aplicação para o nanomaterial, tais como proteção UV, células solares, catalisadores de escape e produção de hidrogénio.

‘Dióxido de titânio’ é um termo geral que engloba a ilmenita, o rutilo natural e sintético e a escória de titânio. Todos estes materiais contêm diferentes percentagens de dióxido de titânio, dependendo do tipo de produto e do país de origem. O dióxido de titânio é obtido principalmente a partir dos minerais ilmenita e rutilo. A Ilmenite pode ser encontrada em depósitos de minério ou em areias contendo metais pesados. O rutilo natural é formado principalmente pela cristalização do magma ou pela transformação de sedimentos contendo titânio ou magmatite.

O rutilo sintético, bem como as escórias de titânio, são obtidas a partir de ilmenite. Em 2020, mais de 16 milhões de toneladas de ilmenite, rutilo e escória de titânio foram processadas em todo o mundo. Cerca de 59% deste volume foi diretamente transformado em pigmentos. Seis por cento foi utilizado para outros produtos finais, tais como titânio tecnicamente puro, condutores elétricos e produtos químicos intermédios. O restante, cerca de 35%, foi utilizado para refinação em rutilo sintético e escória de titânio. O titânio é especialmente necessário para a produção de ligas de aço. As matérias-primas para a produção de dióxido de titânio apenas são encontradas em países como a África do Sul, Serra Leoa e Arábia Saudita. A procura é principalmente determinada por processadores na Ásia-Pacífico, América do Norte e Europa Ocidental.

Principal campo de aplicação do dióxido de titânio

O dióxido de titânio é o pigmento branco mais utilizado. É resistente aos raios UV e tem o índice de refração mais elevado. O novo estudo de mercado de dióxido de titânio da Ceresana analisa em pormenor o mercado global de pigmentos TiO2. Com uma quota de mais de 56%, a área de aplicação de tintas e revestimentos é o mercado de vendas mais importante: o dióxido de titânio pode substituir as cores de chumbo altamente tóxicas anteriormente utilizadas. Outras áreas de aplicação são o plástico, o papel e os têxteis. O dióxido de titânio é também necessário para o fabrico de vidro, cerâmica e catalisadores. Em 2020, o setor industrial da Ásia-Pacífico representava quase 49% da procura global, seguido de perto pela América do Norte com uma quota de 18% e pela Europa Ocidental com uma quota de 14,4%.

Relatório do mercado atual de dióxido de titânio

O capítulo 1 fornece uma análise do mercado global de matérias-primas de dióxido de titânio: desde as matérias-primas naturais ilmenita e rutilo, os produtos intermédios escória de titânio e rutilo sintético, até aos seus respetivos campos de aplicação. Este capítulo fornece informações sobre receitas, procura e produção por tipo de produto. Além disso, a procura de matérias-primas divide-se nas áreas de produção de pigmentos, outras aplicações e quantidades que são posteriormente refinadas em produtos intermédios, tais como escória de titânio e rutilo sintético.

O capítulo 2 examina a área de aplicação mais importante do dióxido de titânio: os pigmentos brancos. Os dados atuais sobre a evolução global das receitas, procura, mercados de vendas individuais e produção são complementados por previsões de mercado para o dióxido de titânio até 2030.

O capítulo 3 fornece informações sobre os mercados de dióxido de titânio nos 16 países mais importantes. Para além da importação, exportação, oferta e procura, é analisada a aplicação de pigmentos TiO2 em cada mercado de venda: tintas e revestimentos, papel, plásticos e outras aplicações.

O capítulo 4 contém os perfis empresariais dos principais fabricantes de dióxido de titânio, ou seja, produtores de pigmentos de dióxido de titânio, ilmenite, rutilo natural e sintético, e escória de titânio. O índice é estruturado por dados de contacto, receitas, lucros, gama de produtos, locais de produção, capacidades e uma breve apresentação da empresa. São fornecidos perfis detalhados de 54 fabricantes, incluindo o Group DF, Iluka Resources Ltd, Kenmare Resources plc, Kronos Worldwide Inc, The Chemours Company, Tronox Holdings plc, TiZir Limited e Venator Materials PLC.

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal - Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

interplast.pt

InterPLAST - Informação profissional para a indústria de plásticos portuguesa

Estatuto Editorial