Informação profissional para a indústria de plásticos portuguesa

Objetivo: pneus inteiramente fabricados a partir de materiais sustentáveis, até 2050

Borracha reciclada, casca de arroz e garrafas de plástico: novos materiais para a produção de pneus da Continental

22/03/2024
Os pneus dos automóveis são redondos, pretos e feitos de borracha: isto é o que a maioria das pessoas diria. No entanto, um olhar mais atento revela que a conceção dos pneus e a interação dos diferentes materiais envolvidos no seu fabrico são extremamente complexas. Há já algum tempo que os especialistas em materiais e os engenheiros de pneus da Continental estão a implementar uma revolução silenciosa. O mais tardar até 2050, todos os pneus devem ser fabricados com materiais sustentáveis. Contudo, ainda há um longo caminho a percorrer até lá. Passo a passo, já sabemos quais as matérias-primas que serão utilizadas no fabrico de pneus no futuro. Estas incluem resíduos agrícolas, tais como cinzas de casca de arroz, borracha de dentes-de-leão, borracha reciclada ou garrafas PET.

De acordo com o espanhol Jorge Almeida, Diretor de Sustentabilidade da Continental Tires, a missão da Continental é clara: “A Continental está a caminho de se tornar a fabricante de pneus mais avançada da indústria de pneus em termos de sustentabilidade. O nosso objetivo é utilizar 100% de materiais sustentáveis nos nossos pneus até, no máximo, 2050.“E acrescenta:”A nossa capacidade de inovação permite-nos desbravar novos caminhos, ainda mais sustentáveis. Isto vai desde a aquisição e abastecimento dos nossos materiais até à reutilização e reciclagem dos nossos pneus”.

Abastecimento responsável
Abastecimento responsável.

Combinação perfeita de materiais para uma segurança máxima

Consoante a aplicação, a estação do ano e o ambiente, os pneus devem cumprir requisitos específicos. Isto pode ser constatado, por exemplo, no desenho do piso. Contudo, noutras áreas, como por exemplo na composição do composto de borracha, estas alterações não são tão facilmente visíveis. Os pneus Continental para automóveis de passageiros são fabricados a partir de até cem matérias-primas diferentes.

A sua composição exata tem um impacto significativo nos pneus e nas respetivas características de manuseamento. A capacidade de utilizar diferentes materiais com as suas propriedades únicas e interdependências de forma específica é um ato de equilíbrio complexo para os engenheiros e especialistas em materiais da Continental. Só quando todos os materiais são perfeitamente combinados entre si é que é possível criar pneus de alto desempenho seguros, duradouros e energeticamente eficientes.

A borracha natural continua a ser essencial devido às suas propriedades excecionais

A borracha natural é essencial para garantir um desempenho excecional dos pneus. Este produto natural representa 10 a 40 por cento do peso total dos pneus modernos de altas prestações. Entre as suas propriedades especiais, destaca-se o elevado nível de resistência e durabilidade, devido à cristalização da borracha induzida pela tensão. A indústria dos pneus é o maior consumidor da produção mundial de borracha, representando mais de 70%. No entanto, a Continental apenas considera a borracha natural como um material sustentável caso seja obtida de forma responsável. Por conseguinte, a empresa adota uma abordagem integrada destinada a tornar mais sustentáveis as complexas e fragmentadas cadeias de abastecimento de borracha natural. Isto inclui a utilização de tecnologia digital de ponta, o envolvimento local e a estreita colaboração com parceiros capazes, com o objetivo de melhorar a transparência e a rastreabilidade ao longo de toda a cadeia de valor. Entretanto, através do projeto Taraxagum, a Continental está a seguir uma abordagem inovadora para garantir uma menor dependência da borracha natural, principalmente cultivada no sudeste asiático. A fabricante de pneus está a trabalhar com os seus parceiros para industrializar a extração de borracha natural a partir de plantas de dente-de-leão especialmente tratadas.

Materiais sustentáveis
Materiais sustentáveis.

Enchimentos sustentáveis à base de plantas

Para além da borracha, os enchimentos, como a sílica, são essenciais para a montagem dos pneus. A sílica, por exemplo, ajuda a otimizar algumas das características como a aderência, a resistência à rodagem e a vida útil do pneu. No futuro, a casca de arroz será utilizada como matéria-prima para a produção sustentável de sílica. A casca de arroz é um resíduo da produção de arroz e não pode ser utilizada como alimento humano ou animal. A sílica derivada da cinza de casca de arroz é mais eficiente em termos energéticos quando utilizada no fabrico, comparativamente à sílica derivada de materiais convencionais, como a areia de quartzo.

Os óleos vegetais, como o óleo de colza e as resinas à base de resíduos das indústrias do papel e da madeira, já são uma alternativa aos enchimentos à base de petróleo bruto nos pneus da Continental. São apenas utilizados óleos que cumpram as normas técnicas de qualidade e que não sejam adequados para consumo. Os óleos e as resinas permitem a flexibilidade em termos de compostos de pneus, melhorando assim a aderência do material.

Processo de pirólise
Processo de pirólise.

Expandir a economia circular

A Continental tem como objetivo alcançar operações totalmente circulares na sua produção de pneus até, no máximo, 2050. Para além da utilização de materiais renováveis, a empresa está a trabalhar sistematicamente na utilização de matérias-primas recicladas na produção de pneus. O objetivo é assegurar que o negro de fumo, outro material de enchimento crucial nos compostos de borracha, possa ser produzido em grande escala no futuro. A Continental assinou recentemente um acordo de desenvolvimento com a Pyrum Innovations, com vista a otimizar ainda mais a reciclagem de materiais provenientes de pneus usados. Para este efeito, a Pyrum decompõe os pneus em fim de vida nas suas partes constituintes num forno industrial, utilizando um processo de pirólise especial. Desta forma, as valiosas matérias-primas contidas nos pneus em fim de vida podem ser extraídas e recicladas. Ambas as empresas estão a trabalhar para obter, a médio prazo, matérias-primas de alta qualidade a partir do óleo de pirólise obtido para a produção de pneus da Continental, para além da utilização direta de negro de fumo de alta qualidade. A longo prazo, a fabricante de pneus premium e a Pyrum pretendem estabelecer um conceito de economia circular de circuito fechado para a reciclagem de pneus em fim de vida.

Ciclo Contilife
Ciclo Contilife.

Borracha reciclada de pneus em fim de vida

Para além da pirólise, a Continental também utiliza o processamento mecânico de pneus em fim de vida. Em particular, a borracha, o aço e o reforço têxtil são separados uns dos outros através de um processo muito sofisticado. Depois, a borracha é preparada para ser reutilizada como parte de novos compostos de borracha.

A Continental tem um longo historial de trabalho consistente para trazer os pneus em fim de vida para a economia circular, a fim de conservar os recursos e o ambiente. Desde 2013, é obtido um material conhecido como “Conti-Reclaim“como parte do processo de recauchutagem de pneus de camião, na fábrica da empresa em Stöcken, Hannover. Há alguns anos que é utilizado na produção de pneus da Continental. Para alargar a gama de aplicações da borracha reciclada e otimizar as propriedades para os vários campos de aplicação, a Continental utiliza não só o”Conti-Reclaim”, mas também borracha reciclada de outros fornecedores.

Garrafas de plástico recicladas na carcaça do pneu

“As matérias-primas recicladas vão desempenhar um papel importante no fabrico de os pneus mais sustentáveis. Utilizamos materiais reciclados sempre que possível. Para nós, é crucial que a qualidade e as propriedades dos materiais sejam comparáveis às das matérias-primas convencionais”, afirma Petschick.

Por exemplo, a Continental está a trabalhar com parceiros para obter fio de poliéster de alta qualidade para os seus pneus a partir de garrafas PET recicladas. Caso contrário, as garrafas PET acabam frequentemente em incineradoras ou em aterros sanitários. Com a sua tecnologia ContiRe.Tex, que foi elegida como Produto inovador do ano em 2023, a fabricante de pneus desenvolveu uma alternativa ecológica e mais eficiente em termos energéticos que permite reutilizar entre nove e quinze garrafas de plástico por pneu, dependendo do tamanho do mesmo. O PET reciclado já substituiu o poliéster convencional em algumas estruturas de carcaças de pneus, sendo as garrafas PET utilizadas exclusivamente provenientes de regiões onde não existe um circuito fechado de reciclagem.

ContiRe.Tex
ContiRe.Tex.

Avançar sistematicamente rumo a uma maior sustentabilidade

A Continental trabalha de forma incansável para desenvolver tecnologias inovadoras e produtos e serviços sustentáveis ao longo de toda a sua cadeia de valor, desde o fornecimento de materiais sustentáveis até à reciclagem de pneus em fim de vida. O objetivo da empresa é atingir 100% de neutralidade de carbono até, no máximo 2050.

REVISTAS

Easy fairs Iberia - PortoSiga-nos

Media Partners

NEWSLETTERS

  • Newsletter InterPlast

    10/04/2024

  • Newsletter InterPlast

    03/04/2024

Subscrever gratuitamente a Newsletter semanal - Ver exemplo

Password

Marcar todos

Autorizo o envio de newsletters e informações de interempresas.net

Autorizo o envio de comunicações de terceiros via interempresas.net

Li e aceito as condições do Aviso legal e da Política de Proteção de Dados

Responsable: Interempresas Media, S.L.U. Finalidades: Assinatura da(s) nossa(s) newsletter(s). Gerenciamento de contas de usuários. Envio de e-mails relacionados a ele ou relacionados a interesses semelhantes ou associados.Conservação: durante o relacionamento com você, ou enquanto for necessário para realizar os propósitos especificados. Atribuição: Os dados podem ser transferidos para outras empresas do grupo por motivos de gestão interna. Derechos: Acceso, rectificación, oposición, supresión, portabilidad, limitación del tratatamiento y decisiones automatizadas: entre em contato com nosso DPO. Si considera que el tratamiento no se ajusta a la normativa vigente, puede presentar reclamación ante la AEPD. Mais informação: Política de Proteção de Dados

interplast.pt

InterPLAST - Informação profissional para a indústria de plásticos portuguesa

Estatuto Editorial